• Receita do Strogonoff DeRose

    DSC_3063-22

     

    INGREDIENTES (quantidades, a gosto):
    cebolas;
    palmito macio;
    champignon fresco;
    queijo mozzarella, provolone e um terceiro (opcional) da sua escolha;
    molho de tomate;
    creme de leite ou yogurt ou tahine, ou taratur;
    orégano;
    cardamomo em semente;
    noz moscada;
    molho de pimenta verde ou vermelha;
    especiarias de sua escolha.

    Se faltar um destes ingredientes, não se aflija. Substitua-o de acordo com o seu paladar e intuição. Culinária também se faz com criatividade e improviso.

     

    MODO DE PREPARAR:
    Corte as cebolas em rodelas e ponha para fritar sem acrescentar nenhum tipo de óleo. Vá mexendo sempre para que não queime, mas deixe dourar bem.
    Introduza o molho de tomate. Depois acrescente um pouco de água, os champignons cortados ao meio e o palmito picado. Que tal um pouco mais de água?

  • Receita de torta de tomate

    Chicken, spinach and tomatoes pie( quiche) on a white wood background. Top view

    Ingredientes
    • 8 a 12 tomates (a quantidade dependerá do tamanho dos tomates);
    • 3 colheres das de sopa de manteiga;
    • 3 ovos inteiros;
    • 2 gemas;
    • 1 lata de milho verde;
    • 1 pimentão vermelho, pequeno;
    • 1 xícara de leite;
    • 4 xícaras de farinha de trigo;
    • 2 maços de salsinha;
    • 1 maço de cebolinha;
    • 1 cebola ralada, pequena;
    • 20 folhinhas de manjerona;
    • 5 folhinhas de manjericão;
    • 20 folhinhas de alecrim;
    • 1 colher das de chá de curry;
    • 1 colher das de chá de molho de pimenta vermelha;
    • 2 colheres das de sopa de catchup;
    • 3 colheres das de chá de fermento em pó;
    • 3 colheres de óleo;
    • queijo prato ou mozzarella em cubinhos.

    Modo de preparo
    Coloque em uma tigela grande: 3 ovos inteiros, a manteiga amolecida, 1 colher das de sopa de óleo, os tomates e o pimentão picados bem miúdos, os temperos verdes bem picadinhos, o milho verde (com a água da lata), o curry, as pimentas e o catchup.
    78 ALIMENTAÇÃO VEGETARIANA: CHEGA DE ABOBRINHA
    Acrescente 2 xícaras de farinha de trigo e misture delicadamente. Acrescente o leite e mais 2 xícaras de farinha de trigo. Torne a misturar, temperando com pouquíssimo sal. Por último, misture o fermento. A massa deverá ficar bem mole, mas não muito úmida. Se estiver muito firme, acrescente um pouco mais de leite, se estiver muito mole, um pouco mais de farinha de trigo.
    Espalhe em forma grande, apenas untada com o óleo restante. Espalhe em cima os cubinhos de queijo, apertando cada um com o dedo para que penetrem na massa, mas fiquem aparentes. Leve ao forno médio por cerca de 25 minutos. Retire do forno e pincele com as duas gemas. Volte ao forno por mais 4 minutos. Pode ser servido quente ou frio. Se desejar uma receita menor, reduza os ingredientes proporcionalmente.

  • This Practice Will Help You Break Old Habits and Live More Productively

    Written by Krista Gray (brit.co)

     

    Ever wonder how celebs and high-performance entrepreneurs manage to be both forward-thinking dreamers and incredible doers? Us too! Since we’re always working on finding balance, eating well, and getting enough sleep to be healthy and productive, we were extra-intrigued when we heard about the DeROSE Method, an increasingly popular system said to help people de-stress and expand their energy capacity. John Chisenhall, the director at DeROSE Method Greenwich Village, recently gave us the 411.

    Taught in 90+ spots around the globe, the DeROSE Method is a unique practice that helps people develop their brain, bod, and emotions. As the method was created to help people achieve a healthier and more productive lifestyle, it teaches techniques like breathing, body awareness, relaxation, concentration, and meditation. Even more, it calls on concepts like mental attitude, coping with pressure, stress management, and good nourishment to help people break old habits and build a solid foundation to thrive. “Throughout life, we accumulate old habits that might have once been (or seemed) useful, but that can fade as we transition into different stages of life,” Chisenhall explains. “Unfortunately, using the same ‘routine thinking’ can prevent you from achieving your goals.” Self-evaluation, he says, is key to making sure your behaviors, habits, and attitude are fine-tuned to help you live your best life. “You’ll expend much less energy and effort if you can change before discomfort and suffering occur.”

     

    One hanging energy saving light bulb glowing different stand out from unlit incandescent bulbs with reflection on dark cyan background , leadership and different creative idea concept. 3D rendering.

    3 WAYS THE DEROSE METHOD CAN HELP YOU IN EVERYDAY SITUATIONS

    1. Harness the power of mentalization. “Create a mental blueprint, an archetype, of your objective or goal — we call this the mentalization technique,” Chisenhall suggests. “Did you know that ‘mentalization’ is a synonym for imagination?” He says it’s in the moment you imagine your archetype that it starts to exist in a more subtle way; basically, as soon as you start thinking about ditching old habits and reaching new goals, your brain will start finding ways to make it happen.

    “I use architecture as a clear example,” Chisenhall expands. “Before construction starts, you mentalize or envision your plan, which then gets transferred to a drawing and eventually crystallized with its construction. Most people don’t realize how mentalization can open doors of opportunity to bring their dreams to life, but don’t fool yourself into believing that mentalizing a goal once or randomly is enough — it takes a lot of practice to produce concrete results.”

    2. Reprogram your emotions in stressful situations. The DeROSE Method can help you manage your emotions in everyday situations, many of which can help you achieve success. To do this, Chisenhall offers some tips. “Think about what you want, and communicate the message to your psyche; begin with a message that is positive and real rather than trying to convince yourself about something that’s unrealistic. Next, create a mentalization associated with your message. Last, swap ‘I’m going to’ with ‘I am.’”

    Chisenhall also suggests countering negative thoughts with positive ones. “When you experience something undesirable, respond with the opposite. For example, if you have a misunderstanding at work, offer a genuine smile, find common ground, and be the first one to work toward making amends. Are you feeling jealous your teammate was promoted but you weren’t? Focus on admiring the qualities that led to their promotion, and get to work on your own skills and traits.”

    3. Master your breath to create purposeful patterns. “Your breath is the only physiological activity that can be conscious or subconscious,” Chisenhall points out. “Your old habits of thought (and actions) reside in your subconscious mind. It recognizes your comfort zone and works to keep you in order to quicken response resolution and conserve physical, emotional, and brain energy. What most people don’t realize is that through breath we can access a portal to the subconscious and begin to restructure and create new patterns that better serve our purpose.”

    Naturally, doing things differently can feel scary. To use your breath as a superpower when you feel stress surfacing, Chisenhall says to focus on taking long and deep breaths. “Inhale, helping your abdomen expand outward, and exhale, pulling your abdomen inward. Air in, abdomen out; air out, abdomen in.” When it comes to perfecting your breathing technique, he advises breathing in and out through your nose only. “Aim for inhaling for four seconds and exhaling for eight seconds; ideally, find a place to sit comfortably so you can pay attention to your breath.” Once you’re able to ditch the short, shallow breaths that come with being stressed out, you’re sure to feel a whole lot better.

     

    FONTE: https://go.brit.co/2HdQrI6

  • Receita de torta de cebola

    French Quiche with onion, Camembert, leek and eggs filling

     

    Ingredientes:

    Massa
    • 200 gramas de creme de leite;
    • 100 gramas de margarina;
    • bastante condimento;
    • farinha de trigo até dar o ponto de abrir a massa.

     

    Recheio
    • 5 cebolas;
    • 2 batatas;
    • 1⁄2 xícara de margarina;
    • 200 gramas de creme de leite;
    • 60 gramas de mozzarella (pode ser substituída por provolone);
    • 11⁄2 colher das de sopa de farinha de trigo ou maisena;
    • pimenta;
    • noz moscada;
    • especiarias diversas.

     

    Modo de Preparo:

    Rale as cebolas e as batatas cruas. Numa panela, derreta a margarina e frite a cebola e a batata até obter um purê. Polvilhe com farinha de trigo e cozinhe mexendo bem. Retire do fogo, acrescente o creme de leite e a mozzarella picada em cubos (reserve um pouco para a cobertura). Tempere
    com noz moscada, temperos e pimenta. Reserve.

    Misture todos os ingredientes da massa, trabalhando-a com as mãos, acrescentando o trigo sempre que necessário. Assim que obtiver o ponto (massa homogênea que desgrude das mãos), abra-a com as mãos em forma refratária.

    Coloque o recheio sobre a massa.
    Espalhe por cima o queijo reservado e, se preferir, pedaços de margarina. Leve ao forno brando por aproximadamente 20 minutos. Sirva quente ou fria.

  • Receita de Molho de Taratur (à base de tahine)

    Homemade asian peanut dressing with black sesame seeds

    TEMPO DE PREPARAÇÃO: Cerca de 5 minutos

    INGREDIENTES:
    tahine;
    água mineral;
    limão;
    alho;
    orégano;
    curry;
    cominho;
    molho de pimenta;
    azeite de oliva.

    MODO DE PREPARAR:
    Bata no liquidificador umas três colheres das de sopa de tahine, com água mineral. Adicione um dente de alho (se preferir, sem o germe, a tripinha que você encontra no centro do dente, pois é ali que se concentra o olor). Acrescente o sumo do limão e uma boa porção dos temperos. Se estiver muito denso, adicione água. Se ficar líquido demais, coloque mais tahine. Deixe sempre um pouco mais fluido para poder acrescentar o azeite no final, pois este dá liga e endurece o molho.

  • Receita de Ginger Ale

    Organic Ginger Ale Soda in a Glass with Lemon and Lime

    Ingredientes:

    • 1 xícara de gengibre com a casca cortado em rodelas finas;
    • 3 pedaços grandes de casca de limão;
    • 1 ou 2 grãos de pimenta-preta;
    • 1 ou 2 grãos de pimenta-da-jamaica (opcional);
    • 2 xícaras de água;
    • Açúcar mascavo a gosto;
    • Água mineral com gás para completar a bebida

    Modo de fazer:
    Cozinhe o gengibre em duas xícaras de água e deixe ferver por meia hora.
    Coe.
    Volte o líquido à panela e acrescente todos os outros ingredientes com exceção da água com gás.
    Ferva por cinco minutos.
    Tire do fogão e deixe descansar por duas horas.
    Coe.
    Este xarope é a base do ginger ale e pode guardá-lo por um longo período no frigorífico.
    Encha um terço de um copo com esse xarope e complete com a água com gás.
    Está pronto o ginger ale.
    Tome bem fresco e, se quiser, use folhas frescas de hortelã para enfeitar.

  • Receita de Mojito sem álcool

    Receita extraída do site Pepper Drinks.

    Mojito cocktail and ingredients, rustic wood background, copy space

     

    Ingredientes:

    • 8 folhas de hortelã;
    • ½ limão;
    • Bastante Gelo;
    • Água com gás ou água citrus;
    • Açúcar a gosto.

     

    Modo de fazer:

    Coloque em um copo “long drink” o limão, a hortelã e o açúcar. Macere até extrair o caldo do limão, como para um mojito normal. Acrescente o gelo e coloque a água gaseificada até completar o copo, depois é só mexer com uma colher. A diferença aqui é que em lugar do rum, coloca-se a água com gás ou citrus. Capriche na hortelã e no gelo para refrescar.

  • Receita de sorvete de manjericão

    A bowl of freshly made basil ice cream with a garnish of fresh basil.

    Ingredientes:

    – Manjericão (folhas) 1 xícara;
    – Leite condensado – 2 caixinhas (790g);
    – Creme de leite – 2 caixinhas (400g);
    – Suco de limão – ¼ xícara;
    – Agar agar – 2 colheres (chá);
    – Água – ½ xícara.

    Modo de fazer:
    Bata no liquidificador o manjericão, o leite condensado, o creme de leite e o suco de limão.
    Dissolva o agar agar na água e leve ao fogo para dissolver bem.
    Acrescente à mistura de manjericão e bata bem.
    Leve ao freezer até endurecer.
    Bata no processador ou liquidificador e leve ao freezer novamente.
    Repita a operação mais duas vezes.

  • Curso com o Sistematizador DeRose na Sede Central

    Ontem rolou curso com o próprio Sistematizador na Sede Central – Jardins. O tema foi Boas Maneiras, um dos conceitos que fazem parte dessa cultura.
    No nosso site tem uma matéria sobre esse tema.
    Se quiser saber mais, recomendamos o livro Método de Boas Maneiras do próprio DeRose.

    Metodo-DeRose-Vila-Madalena-DeRose1

     

    Desculpe (capítulo do Método de Boas Maneiras)

    “A utilização do pedido de desculpas pode evitar até 90% dos conflitos entre amigos e desconhecidos. Só não funciona tão bem entre familiares, mas mesmo assim atenua bastante as tensões.

    Deve ser utilizado não apenas quando você cometer algum erro, mas também quando outros os cometerem. Alguém lhe dá um esbarrão, você tem a certeza de que a culpa foi do outro, contudo, diz-lhe: “desculpe”. O outro provavelmente dirá o mesmo. Ou se ele estiver convencido de que a culpa foi sua, dirá “não foi nada”.

    Não há preço que compense a economia de saúde a curto e a longo prazo, proporcionada por evitar um confronto, seja ele com desconhecidos, com amigos ou com familiares.

    Então, vamos proceder a uma reeducação psicológica. Você aprendeu que quando os outros erram, eles é que têm que pedir desculpas. Agora está reaprendendo: quando você erra, pede desculpas e quando os outros erram você pede também.

    Jamais diga: “você não compreendeu o que eu disse”. No lugar dessa indelicadeza, declare com solenidade: “desculpe, creio que eu não me expliquei bem”.

    E numa circunstância em que assumir a responsabilidade poderia lhe custar um belo prejuízo? Se ocorrer um acidente de trânsito, você tem a certeza de que a culpa foi do outro motorista! Mas ele também tem a certeza de que a culpa foi sua… Então, que tal assumir a culpa e desculpar-se? O seguro paga. Não tem seguro? Então, não é para você que estou escrevendo. Todo o mundo tem seguro de tudo, do carro, da casa, de vida, de assistência médica. Quem não o tem é tão imprevidente que não faz sentido ler um livro destes. E não venha com a estória da falta de dinheiro que isso não convence. Bastaria comprar um carro minimamente mais barato e fazer o seguro.

    E como fica a questão do direito e da justiça? Como é que você vai assumir uma culpa que não é sua? Não seria isso uma atitude meramente covarde? Ao contrário! Definitivamente, é preciso muita coragem e dignidade para assumir a sua própria culpa e, muito mais, a de outrem. Isso foi o que fizeram inúmeros santos e heróis nacionais, pessoas com um elevado sentido de compromisso humanitário a ponto de sacrificar o próprio ego e às vezes, até a vida.

    Mas antes de utilizar a estratégia do pedido de desculpas, é preciso eliminar o sentimento de culpa típico das ex-colônias. Na América Latina diz-se o “desculpe-me” com humildade e inferioridade, enquanto que nos países colonizadores utiliza-se esse termo como recurso de superiorizar-se em relação à pessoa com quem se fala.

    Na França aplica-se o “pardon M’sier” para chamar a atenção de alguém que tenha sido indelicado ou que tenha procedido mal em qualquer circunstância.

    Na Inglaterra e outros países que falam dialetos do inglês, usa-se a forma “I beg your pardon” (eu suplico o seu perdão) para fazer uma admoestação com superioridade e elegância a quem tiver cometido uma falta, uma arrogância ou impertinência.

    Em ambos os casos a pessoa que pediu perdão fê-lo de cabeça erguida, com atitude de quem estava acima do outro. Com o pedido de perdão rebaixou o interlocutor, obrigando-o a responder com uma justificativa. No caso do inglês, a pessoa fica instada a modificar sua frase anterior. Se ela havia dito, por exemplo: “O senhor retirou o objeto que estava aqui”, o “I beg your pardon” tem o poder de modificar a atitude do acusador para algo como: “Sinto muito, o que eu quis dizer foi que o senhor pode inadvertidamente ter esbarrado e deixado cair o objeto em questão”. Você nota uma flagrante diferença de postura no pedido de perdão do colonizador e no do colonizado.

    Como estou lidando com um leitor que já é viajado e cosmopolita (se ainda não o é, passará a ser com a leitura dos meus livros), posso propor que assuma a postura de elevada auto-estima ao aplicar a estratégia do pedido de desculpas. Ao fazê-lo, você não estará se humilhando nem se rebaixando, mas estará pensando consigo mesmo: “Controlei a situação e dominei esse bruto que tenho diante de mim. Estou satisfeito por ter conseguido fazê-lo com uma inteligente administração de recursos. Na relação custo/benefício, poupei tempo, economizei stress e ainda contabilizei uma pessoa que pode vir a ser útil no futuro.”