• Administração das emoções

    Por Fernanda Macedo, instrutora da Escola Leblon

    Já reparou que quando se está emocionalizado, não se consegue racionalizar? Isso serve tanto para emoções ruins, quanto para as boas: quando se está apaixonado, eufórico, triste ou com raiva. O ditado popular já dizia: “não tome nenhuma decisão de cabeça quente”. Se você tem um desentendimento com o namorado, não é uma boa ideia terminar o relacionamento no meio de uma discussão acalorada. Ou quando se está muito apaixonado por alguém, talvez não seja o momento de resolver mudar de cidade para ficar próximo daquela pessoa. Ou ainda, se está extremamente feliz porque recebeu aumento, mesmo assim, melhor deixar passar a euforia antes de fechar um cruzeiro pela Europa!

    Nunca aconteceu de você estar tentando estudar ou trabalhar, mas por encontrar-se emocionado por alguma paixão ou ciúme, não conseguir render naquela atividade intelectual? Nossos sentimentos e emoções tem a capacidade de obscurecer nossos pensamentos. A mente não consegue fluir livremente quando o emocional não está estabilizado. Portanto, as emoções eclipsam a mente.

    E o que fazer para atenuar esses efeitos?

    Respondo-lhes a essa pergunta com a sabedoria de quem já passou por isso muitas vezes: respire! Sei o que está pensando: ‘Ok, mas eu respiro o tempo todo e mesmo assim continuo me emocionando!’ O que eu quero dizer é mudar o paradigma de respiração que você está acostumado.

    Geralmente uma respiração curta e automática. Tornar sua respiração consciente, profunda e ritmada. Com certeza já falaram para você para respirar fundo, ou contar até dez, antes de tomar uma atitude. Na verdade, o que estavam pedindo é que você desse mais atenção a sua respiração.

    Se você não está acreditando no meu conhecimento empírico, vou me basear então em algo mais científico. Emma Seppala é psicóloga, Ph.D pela Universidade de Stanford. Um de seus estudos tem por base as vantagens de uma respiração consciente. Fazendo um super resumo da sua pesquisa, basicamente o que ela quer nos dizer é que, da mesma forma como quando nos emocionamos nossa respiração muda – mais rápida e curta quando estressados e mais profunda quando relaxados, nossas emoções também podem ser alteradas quando mudamos nossa respiração! Revolucionário, não?

    Um dos ritmos respiratórios recomendados por ela, e também por mim, é o chamado ritmo quadrado. Ou seja, você utiliza o mesmo tempo para todas as fases da sua respiração. Por exemplo, inspira em 4 segundos, retém com ar nos pulmões o mesmo tempo, expira contando 4 segundos, e retém sem ar o mesmo tempo.

    Dificilmente conseguimos dizer para nós mesmos o que fazer quando nossas emoções vêm à tona. É nesse momento que entra a respiração. No começo é difícil, mas não desista e você verá que vale a pena!

    35326194242_c9d2a72233_k

  • Receita de Malai Kofta

    Receita da Professora Rosângela de Castro.

    malai-kofta-recipe-step-by-step-instructions

     

    Para os koftas:
    350 g de panner;
    3 colheres de sopa de farinha de trigo;
    1 colher de chá de fermento em pó;
    4 pimentas frescas picadas;
    1 colher de chá de coentro fresco picado;
    Sal a gosto.

     

    Para o curry:
    2 colheres de sopa de coco ralado;
    10 dentes de alho amassados;
    3 pimentas vermelhas frescas bem picadinhas;
    2 colheres de chá de coentro em semente;
    2 colheres de chá de cominho em semente;
    2 colheres de sopa de sementes de mostarda;
    2 colheres de sopa de coentro fresco picado.

     

    Para o molho:
    4 tomates;
    1 copo de creme de leite fresco;
    4 colheres de sopa de manteiga;
    1 colher de chá de chilli;
    Sal a gosto.

     

    Preparo:
    Para os koftas:
    Amasse bem o queijo, misture com a farinha, o fermento, o coentro, o sal e a pimenta. Forme bolinhas do tamanho de uma noz e leve-as para assar em forma untada e enfarinhada, em forno médio até crescerem e ficarem coradas.

     

    Para o curry:
    Misture todos os ingredientes com óleo para formar uma pasta.

     
    Para o molho:
    Cozinhe os tomates cortados em pedaços pequenos em quatro xícaras de água. Refogue os ingredientes do curry em manteiga bem quente, adicione o molho de tomates e deixe fervendo durante 10 a 15 minutos. Quando o fogo estiver desligado acrescente os bolinhos. O molho fica muito mais saboroso quando feito na véspera.

  • A criatividade

    Criatividade: palavra que por muito tempo foi associada aos gênios criativos e que boa parte da humanidade se considerava apta a apenas sentar e assistir o que chamamos de criações. Felizmente temos observado que muitas vezes tudo que o nosso corpo e nossas células desejam é… criar! O tempo tem nos mostrado que a criatividade é a coisa mais democrática do mundo, vai com todos! Não escolhe gênero, idade, cor, status social… e pode sim ser trabalhada, desenvolvida.

    A (cri)atividade passa a fazer parte do cotidiano quando encarada como atitude, comportamento, forma de estar. É uma questão simples: a de manter vivo e funcionando o olhar curioso da criança, inovador do jovem, atento do adulto, amplo do ancião. Assim entramos num fluxo de constantes transformações, tal qual a natureza e a própria vida.

    Este é um convite, para viver cada experiência como uma aventura inédita, reunindo aprendizagens e aplicando à vivências seguintes, sermos ativos no mundo. Manter a chama do desejo de descobrir acesa, permiti-se surpreender com a própria coragem e potência de liberdade como seres (cada vez mais) conscientes! Sigamos, mais pulsantes e mais vivos!

    New creative idea

  • Receita de Spice Cake

    Receita especial de um super bolo de especiarias da Escola Plaza Sul!

    465e1493-a24d-43f1-9358-c070b11ed1ef

     

    Ingredientes:

    1 xíc. de manteiga sem sal, em temperatura ambiente (200g);
    1 ½ xíc. de açúcar demerara ou mascavo;
    2 ovos em temperatura ambiente;
    1 xíc. de iogurte natural;
    1 colher (sopa) de raspas de limão;
    1 colher (chá) de essência de baunilha;
    2 xíc. de farinha de trigo;
    1 colher (chá) de bicarbonato de sódio;
    ½ colher (chá) de sal;
    ½ colher (chá) de canela em pó;
    ½ colher (chá) de noz moscada;
    ½ colher 9chá) de gengibre em pó;
    1/8 colher (chá) de pimenta do reino ou allspice;
    1 pitada de cravo moído;
    1 xíc. de nozes ou pecans picadas.

     

    Calda:

    ½ xíc. de açúcar demerara ou mascavo;
    ¼ xíc. de água;
    ½ xíc. de manteiga sem sal, derretida (100g);
    1 colher (chá) de essência de baunilha;
    1 pitada de sal;
    Açúcar de confeiteiro para polvilhar.

     

    Modo de preparo:

    Pré-aqueça o forno, unte e enfarinhe uma forma redonda com furo central (9 minutos).
    Coloque a manteiga e o açúcar na batedeira e bata até ficar cremoso (3 a 5 minutos). Adicione os ovos e bata novamente.
    Em uma tigela misture o iogurte, as raspas de limão e a baunilha. Bata bem.
    Coloque os ingredientes secos em uma tigela, misture e adicione em 3 etapas a mistura de manteiga, alternando com a mistura de iogurte. Raspe as laterais da tigela entre cada adição.
    Junte as nozes e mexa novamente.
    Coloque na forma preparada, leve ao forno e asse por 45 a 60 minutos. Faça o teste do palito.
    Enquanto o bolo estiver assando, coloque os ingredientes em uma panela pequena e leve ao fogo alto até ferver e depois por mais 2 minutos.
    Deixe o bolo esfriar por 5 minutos, desenforme e fure a superfície com um palito. Pincele o bolo com a calda e deixe esfriar até estar em temperatura ambiente.Polvilhe com açúcar de confeiteiro (opcional).