• Não espere mais: você tem que vencer na vida agora! – DeRose

    Precioso texto extraído do Blog do DeRose

    DeRoseEstrategico2011

    Qualquer que seja a sua profissão, imagine se acontecesse uma tragédia que desestruturasse da noite para o dia a economia nacional ou internacional, de que você viveria? O que comeria amanhã?

    Qualquer que seja a sua profissão, imagine se acontecesse uma tragédia que desestruturasse da noite para o dia a economia nacional ou internacional, de que você viveria? O que comeria amanhã?

    Admita que a estabilidade do mundo é extremamente volátil. Não será de se estranhar se ela for bruscamente quebrada. De se estranhar é que ainda não tenha ocorrido.

    Considere honestamente que é muito provável um dos seguintes eventos ocorrer a qualquer momento. O que você fará da sua vida:

    • Se a Bolsa de New York quebrar de novo?
    • Se novo caos na economia nacional acontecer outra vez, com sequestro (outra vez!) do seu dinheiro que estiver no banco, ou coisa pior?
    • Se outro golpe de estado se deflagrar no Brasil, uma vez que ocorreram vários no nosso país na história recente?
    • Se você sofrer um grave acidente de automóvel?
    • Se você ficar muito doente?
    • Se o conflito no Oriente Médio se alastrar pelas demais nações, iniciando uma nova guerra mundial, com desabastecimento generalizado?
    • Se ocorrer uma doença como a peste negra, a gripe espanhola, ebola, vaca-louca, aids etc., que se torne pandêmica e incontrolável?
    • Se o aquecimento global gerar catástrofes naturais?
    • Se o presidente de alguma nação cometer um erro de cálculo em suas estratégias governamentais?
    • Se os presidentes do Brasil e da Argentina se desentenderem e armarem conflito entre nós?
    • Se acontecer um acidente nuclear?
    • Se um cometa se chocar com a Terra?

    737555_486896551355987_1552193704_oSe qualquer um, apenas um desses eventos ocorrer antes que você tenha se equilibrado, consolidado mesmo, economicamente, você vai passar muita necessidade, seja qual for a sua profissão.

    Quem for empregado vai ser demitido, como aconteceu por ocasião do crash da Bolsa de New York. Se for empresário vai quebrar. Se for profissional liberal ficará sem trabalho ou terá que trabalhar de graça, como será o caso de serviços essenciais (médicos, enfermeiros e outros).

    Mas se você, pelo menos, já tiver comprado a sua casa, tiver uma reserva econômica, capacidade de previsão e souber agir rápido, é possível que consiga passar pela crise com menos sofrimento.

    Há relativamente pouco tempo, sem que acontecesse nada do que foi descrito acima, apenas por um golpe de caneta equivocado do governo brasileiro, desencadeou-se o desabastecimento nas lojas. Não havia mercadorias. Quem as tinha só vendia mediante pagamento de ágio (sobrepreço). Com a devida agilidade, passei pelo supermercado e comprei tudo o de que poderia precisar e pensei também nos amigos. Imaginei, por exemplo, minha filha (que era pequena) desejar e não poder comer um chocolatinho e a minha amiga Eliane Lobato, com filhas pequenas, sem ter sal para cozinhar. Então, comprei tudo e mais sal. Minha, então, esposa argumentou: “Imagina se a Eliane não comprou o sal”. Mas levei-o assim mesmo. Justo naquela noite, Eliane me telefonou: “DeRose, será que você tem um pouco de sal para me emprestar? Quando fui comprar não havia mais nada. Não tenho como fazer comida para minhas filhas”! Quem não viveu uma situação dessas, acha que nunca vai acontecer. Mas escreva o que eu digo: mais cedo ou mais tarde vai ocorrer de novo.

    Portanto, corra para vencer na vida AGORA. Não faça como a fábula d’A Cigarra e a Formiga. Você não tem tempo.

  • Meiguice de mil anjos

    Um dos livros mais doces da nossa bibliografia certamente é o Anjos Peludos – Método de Educação de Cães, do escritor DeRose.  Confira abaixo um dos trechos do livro:
    “Se você não tem um cão, não sabe o que é acordar e ser recebido com tanto afeto de bom-dia. Nenhum ser humano é capaz de dizer:
    “Posso lhe fazer um carinho? Desculpe se eu me descontrolei e lhe dei uma lambida no rosto, mas é que eu o amo tanto!… Sabe? Eu fiquei esta noite toda prestando atenção a cada movimento seu, para protegê-lo. E cada atitude sua para saber se já era a hora de lhe dar meu olharzinho de ternura e – quem sabe? – receber de você um pouco de atenção. Eu peço tão pouco! Se você apenas me olhar, eu já balanço meu cotoquinho de cauda, para demonstrar a felicidade por ser sua e poder viver ao seu lado!”
    Acordei. Abri a porta do meu quarto. Dei bom-dia à Jaya. Ela me encostou a cabeça sobre as pernas, como sempre faz para pedir carinho. Me olhou nos olhos com a meiguice de mil anjos e me arrancou uma lágrima de gratidão. E, no entanto, devo-lhe mais do que ela a mim.”

    426965_417420468303596_1894053937_n

    Nossa Cultura conta com um efetivo Método de reeducação comportamental, reeducação respiratória, alta performance, qualidade de vida e outras disciplinas. O interesse pela educação dos nossos melhores amigos é agregador e nos traz similaridades, já que alguns mecanismos funcionam para todos os mamíferos – mais para uns, menos para outros. Como nós também somos mamíferos, estamos sujeitos por exemplo aos mesmos princípios de reforço positivo e premiação, bem como ao cultivo da coerência.
    Em geral, os cães são afetuosos, sempre dispostos a nos dar carinho. Aqui vai um texto anônimo muito sensível. Que possa nos inspirar a sermos melhores e a expandirmos nosso afeto a todos os seres que coabitam conosco este planeta.
    “Existem pessoas que não gostam de cães. Estas, com certeza, nunca tiveram em sua vida um amigo de quatro patas. Ou, se tiveram, nunca olharam dentro daqueles olhos para perceber quem estava ali.
    Um cão é um anjo que vem ao mundo ensinar amor! Quem mais pode dar amor incondicional, amizade sem pedir nada em troca, afeição sem esperar retorno, proteção sem ganhar nada, fidelidade vinte e quatro horas por dia?
    Ah! Não me venha com essa de que os pais ou filhos fazem isso, porque os pais e os filhos são humanos, irritam-se, afastam-se…
    Um cão não se afasta, mesmo quando você o agride. Ele retorna cabisbaixo pedindo desculpas por algo que talvez não tenha feito, lambendo suas mãos a suplicar perdão.
    Alguns anjos não possuem asas, possuem quatro patas, corpo peludo, nariz de bolinha, orelhas de atenção, olhar de aflição e carência.
    Apesar dessa aparência, são tão anjos quanto os outros (os com asas) e se dedicam aos seres humanos tanto quanto qualquer anjo costuma dedicar-se.
    O bom seria se todos os humanos pudessem ver a humanidade perfeita de um cão.”