• O sorriso

    Texto extraído do livro Método de Boas Maneiras – Comendador DeRose

    O sorriso

    O mundo é como um espelho: sorria para ele e só verá sorrisos. Se há uma linguagem universal, essa é o sorriso. Você pode não falar o idioma de um determinado país, mas ao sorrir para as pessoas, todos o compreendem e retribuem. O sorriso serve como cumprimento, como pedido de desculpas e como aceno silente e simpático quando olhares se cruzam.
    Se você entra num ambiente e sorri para os que lá estão, é como se estivesse lhes dizendo: “Como vão? Estou feliz por
    vê-los.” Se, ao conduzir seu automóvel, comete um erro no trânsito, o sorriso pode significar: “Desculpe, amigo, foi sem querer.”

    Em minhas aulas digo coisas capazes de fazer corar urna estátua de mármore, mas, como falo sorrindo, o público ri comigo e não se ofende. Pessoas sisudas terminam por absorver uma impressão azeda do mundo, pois os demais vão refletir sua fisionomia e retribuir com a mesma frieza ou antipatia.
    Treine todos os dias um exercício de musculatura da face. Procure erguer os músculos que se situam bem abaixo dos olhos. São aqueles que os desenhistas costumam representar com um arco sob os olhos quando desejam indicar simpatia e felicidade. O sorriso é o nosso grande trunfo. Denota civilidade, educação, delicadeza, confiança em si mesmo… E abre muitas portas! Acima de tudo, sorrir rejuvenesce mais do que uma cirurgia plástica e é muito mais barato.

    37781383271_11717269b9_b

  • Receita de Cogumelos Recheados

    Stuffed large mushrooms served with salad BBQ sauce and and sour cream dip.

    Ingredientes:
    • 500 gramas de cogumelos frescos;
    • 1 requeijão;
    • 1 ramo de coentros;
    • 1 cebola;
    • 300 gramas de espinafres;
    • pimentas;
    • 1 cenoura;
    • azeitonas;
    • azeite;
    • milho.

    Modo de preparo:
    Juntar num recipiente o requeijão com as azeitonas e os coentros bem cortadinhos. Um dos molhos já está pronto.
    Colocar numa panela, a cebola cortada juntamente com azeite e pimenta. Deixar refogar alguns minutos. Corte as cenouras em cubos pequenos e junte ao refogado. Quando as cenouras estiverem tenras, acrescentam-se os espinafres e refogue mais um pouco.
    Lave os cogumelos e retire os “cabinhos”. Coloque-os na frigideira para dourar com o azeite. No final, recheie cada um com um dos dois molhos. Simples e apetitoso.

  • Administração das emoções

    Por Fernanda Macedo, instrutora da Escola Leblon

    Já reparou que quando se está emocionalizado, não se consegue racionalizar? Isso serve tanto para emoções ruins, quanto para as boas: quando se está apaixonado, eufórico, triste ou com raiva. O ditado popular já dizia: “não tome nenhuma decisão de cabeça quente”. Se você tem um desentendimento com o namorado, não é uma boa ideia terminar o relacionamento no meio de uma discussão acalorada. Ou quando se está muito apaixonado por alguém, talvez não seja o momento de resolver mudar de cidade para ficar próximo daquela pessoa. Ou ainda, se está extremamente feliz porque recebeu aumento, mesmo assim, melhor deixar passar a euforia antes de fechar um cruzeiro pela Europa!

    Nunca aconteceu de você estar tentando estudar ou trabalhar, mas por encontrar-se emocionado por alguma paixão ou ciúme, não conseguir render naquela atividade intelectual? Nossos sentimentos e emoções tem a capacidade de obscurecer nossos pensamentos. A mente não consegue fluir livremente quando o emocional não está estabilizado. Portanto, as emoções eclipsam a mente.

    E o que fazer para atenuar esses efeitos?

    Respondo-lhes a essa pergunta com a sabedoria de quem já passou por isso muitas vezes: respire! Sei o que está pensando: ‘Ok, mas eu respiro o tempo todo e mesmo assim continuo me emocionando!’ O que eu quero dizer é mudar o paradigma de respiração que você está acostumado.

    Geralmente uma respiração curta e automática. Tornar sua respiração consciente, profunda e ritmada. Com certeza já falaram para você para respirar fundo, ou contar até dez, antes de tomar uma atitude. Na verdade, o que estavam pedindo é que você desse mais atenção a sua respiração.

    Se você não está acreditando no meu conhecimento empírico, vou me basear então em algo mais científico. Emma Seppala é psicóloga, Ph.D pela Universidade de Stanford. Um de seus estudos tem por base as vantagens de uma respiração consciente. Fazendo um super resumo da sua pesquisa, basicamente o que ela quer nos dizer é que, da mesma forma como quando nos emocionamos nossa respiração muda – mais rápida e curta quando estressados e mais profunda quando relaxados, nossas emoções também podem ser alteradas quando mudamos nossa respiração! Revolucionário, não?

    Um dos ritmos respiratórios recomendados por ela, e também por mim, é o chamado ritmo quadrado. Ou seja, você utiliza o mesmo tempo para todas as fases da sua respiração. Por exemplo, inspira em 4 segundos, retém com ar nos pulmões o mesmo tempo, expira contando 4 segundos, e retém sem ar o mesmo tempo.

    Dificilmente conseguimos dizer para nós mesmos o que fazer quando nossas emoções vêm à tona. É nesse momento que entra a respiração. No começo é difícil, mas não desista e você verá que vale a pena!

    35326194242_c9d2a72233_k

  • Receita de Malai Kofta

    Receita da Professora Rosângela de Castro.

    malai-kofta-recipe-step-by-step-instructions

     

    Para os koftas:
    350 g de panner;
    3 colheres de sopa de farinha de trigo;
    1 colher de chá de fermento em pó;
    4 pimentas frescas picadas;
    1 colher de chá de coentro fresco picado;
    Sal a gosto.

     

    Para o curry:
    2 colheres de sopa de coco ralado;
    10 dentes de alho amassados;
    3 pimentas vermelhas frescas bem picadinhas;
    2 colheres de chá de coentro em semente;
    2 colheres de chá de cominho em semente;
    2 colheres de sopa de sementes de mostarda;
    2 colheres de sopa de coentro fresco picado.

     

    Para o molho:
    4 tomates;
    1 copo de creme de leite fresco;
    4 colheres de sopa de manteiga;
    1 colher de chá de chilli;
    Sal a gosto.

     

    Preparo:
    Para os koftas:
    Amasse bem o queijo, misture com a farinha, o fermento, o coentro, o sal e a pimenta. Forme bolinhas do tamanho de uma noz e leve-as para assar em forma untada e enfarinhada, em forno médio até crescerem e ficarem coradas.

     

    Para o curry:
    Misture todos os ingredientes com óleo para formar uma pasta.

     
    Para o molho:
    Cozinhe os tomates cortados em pedaços pequenos em quatro xícaras de água. Refogue os ingredientes do curry em manteiga bem quente, adicione o molho de tomates e deixe fervendo durante 10 a 15 minutos. Quando o fogo estiver desligado acrescente os bolinhos. O molho fica muito mais saboroso quando feito na véspera.

  • A criatividade

    Criatividade: palavra que por muito tempo foi associada aos gênios criativos e que boa parte da humanidade se considerava apta a apenas sentar e assistir o que chamamos de criações. Felizmente temos observado que muitas vezes tudo que o nosso corpo e nossas células desejam é… criar! O tempo tem nos mostrado que a criatividade é a coisa mais democrática do mundo, vai com todos! Não escolhe gênero, idade, cor, status social… e pode sim ser trabalhada, desenvolvida.

    A (cri)atividade passa a fazer parte do cotidiano quando encarada como atitude, comportamento, forma de estar. É uma questão simples: a de manter vivo e funcionando o olhar curioso da criança, inovador do jovem, atento do adulto, amplo do ancião. Assim entramos num fluxo de constantes transformações, tal qual a natureza e a própria vida.

    Este é um convite, para viver cada experiência como uma aventura inédita, reunindo aprendizagens e aplicando à vivências seguintes, sermos ativos no mundo. Manter a chama do desejo de descobrir acesa, permiti-se surpreender com a própria coragem e potência de liberdade como seres (cada vez mais) conscientes! Sigamos, mais pulsantes e mais vivos!

    New creative idea

  • Receita de Spice Cake

    Receita especial de um super bolo de especiarias da Escola Plaza Sul!

    465e1493-a24d-43f1-9358-c070b11ed1ef

     

    Ingredientes:

    1 xíc. de manteiga sem sal, em temperatura ambiente (200g);
    1 ½ xíc. de açúcar demerara ou mascavo;
    2 ovos em temperatura ambiente;
    1 xíc. de iogurte natural;
    1 colher (sopa) de raspas de limão;
    1 colher (chá) de essência de baunilha;
    2 xíc. de farinha de trigo;
    1 colher (chá) de bicarbonato de sódio;
    ½ colher (chá) de sal;
    ½ colher (chá) de canela em pó;
    ½ colher (chá) de noz moscada;
    ½ colher 9chá) de gengibre em pó;
    1/8 colher (chá) de pimenta do reino ou allspice;
    1 pitada de cravo moído;
    1 xíc. de nozes ou pecans picadas.

     

    Calda:

    ½ xíc. de açúcar demerara ou mascavo;
    ¼ xíc. de água;
    ½ xíc. de manteiga sem sal, derretida (100g);
    1 colher (chá) de essência de baunilha;
    1 pitada de sal;
    Açúcar de confeiteiro para polvilhar.

     

    Modo de preparo:

    Pré-aqueça o forno, unte e enfarinhe uma forma redonda com furo central (9 minutos).
    Coloque a manteiga e o açúcar na batedeira e bata até ficar cremoso (3 a 5 minutos). Adicione os ovos e bata novamente.
    Em uma tigela misture o iogurte, as raspas de limão e a baunilha. Bata bem.
    Coloque os ingredientes secos em uma tigela, misture e adicione em 3 etapas a mistura de manteiga, alternando com a mistura de iogurte. Raspe as laterais da tigela entre cada adição.
    Junte as nozes e mexa novamente.
    Coloque na forma preparada, leve ao forno e asse por 45 a 60 minutos. Faça o teste do palito.
    Enquanto o bolo estiver assando, coloque os ingredientes em uma panela pequena e leve ao fogo alto até ferver e depois por mais 2 minutos.
    Deixe o bolo esfriar por 5 minutos, desenforme e fure a superfície com um palito. Pincele o bolo com a calda e deixe esfriar até estar em temperatura ambiente.Polvilhe com açúcar de confeiteiro (opcional).

  • O quarto grau da Escala Evolutiva do DeROSE Method

    Este é o último grau de aluno da nossa Escala Evolutiva. E a Diretora da Escola de Salvador / Bahia, nos conta mais sobre a insígnia lilás:

    “O grau de graduado é aquele em que o aluno é quase instrutor. Está na boca do gol, tem um super privilégio de conviver mais com a equipe, participar de encontros e atividades mais voltadas para círculo interno.

    O graduado gosta de estar perto, cuida da escola como sua casa, se vê uma lâmpada queimada ele vai lá e troca, se vê algo sujo ele vai lá e limpa, se termina o chai ele vai lá e faz outro, tudo isso sem que ninguém peça. Ele já enxerga a escola com olhos de instrutor, está atento ao funcionamento e a qualidade do ambiente, encontra mais oportunidades de criar produtos, de conversar com os alunos e ensinar sobre conceitos, é um exemplo de comportamento de um praticante do DeRose Method.

    Insígnia Lilás

    Esse é um grau em que o aluno pode também ministrar atividades culturais, substituir eventualmente um instrutor e participar de cursos e eventos restritos a este grau. É uma experiência completamente nova e deliciosa vivenciar essa etapa com uma pincelada do que é a responsabilidade e evolução de uma profissão surpreendente de empreendedor do DeROSE Method.”

  • O terceiro grau da Escala Evolutiva do DeROSE Method

    Ao alcançar o grau do discipulado o aluno conquista a insígnia vermelha: não à toa carrega a cor mais quente da escala evolutiva! Discípulo é o praticante que incorporou por completo a Nossa Cultura e marca o início de um forte compromisso: o de tornar-se discípulo, assumir um Mestre para orientá-lo, abraçar uma relação de carinho, respeito e lealdade.

    Os conceitos e as técnicas do DeROSE Method remontam a um contexto de mais de cinco mil anos. Partindo desta autenticidade e ancestralidade, consideramos que o discípulo tem a liberdade de escolher o seu Mestre, e a partir do momento que ele se propõe a ser um discípulo, deve aceitar e reconhecê-lo definitivamente e sem reservas, defendendo, protegendo e difundindo de forma efetiva nosso estilo de vida.

    Insígnia Vermelha

    As mais antigas escrituras hindus e os Shástras tradicionais consideram que o que ensinamos “só deve ser ensinada a um filho ou a um discípulo totalmente leal ao seu Mestre”. Adotamos e valorizamos esta estrutura iniciática. Tal como nas artes marciais, assumimos este passo como um ato nobre e de disciplina.

    A passagem para este grau conta com um gostinho do que é a avaliação para o grau de instrutor, emocionante como merece ser! No exame prático, você será avaliado por uma banca composta por seu diretor e instrutores mais experientes. Apresentará uma coreografia poderosa, carregada de sua intenção e Emoção de candidatar-se a discípulo! Além disso o candidato deverá descrever e pronunciar corretamente em sânscrito 5 gestos reflexológicos feitos com as mãos, 5 respiratórios e 20 técnicas corporais. O exame teórico será feito em sua Escola e contará com o acompanhamento próximo de seu instrutor, futuro monitor. A avaliação conceitual é a mais importante: a cultura, educação e todas as circunstâncias incorporam-se ao nosso patrimônio corporal e facial, são nossas atitudes, antes de tudo, que determinam o grau que você carregará.

    Então, para chegar ao grau de discípulo, cultive proximidade e identificação com nosso Preceptor, o Mestre DeRose! Você tem o privilégio de estar bem próximo dele, mergulhado numa egrégora efervescente. Conviva intensamente, participe ativamente, estude muito, pratique bastante e vamos juntos constituir um mundo mais afetuoso e melhor!

    28456684812_39b80f1ffb_k

  • Receita de sorvete de banana

    raw vegan banana and cinnamon ice cream

    Ingredientes:
    4 bananas;
    Leite;
    1 colher de chá de baunilha;
    Amêndoas ou nozes moídas.

    Preparo:
    Descasque e corte as bananas em rodelas pequenas. Coloque-as em um recipiente e deixe repousar no congelador. Quando estiverem congeladas, tire as bananas do congelador e coloque-as em um liquidificador ou processador de alimentos.
    Liquidifique-as e adicione leite aos poucos, fazendo pausas para alcançar a consistência adequada, de maneira que seja possível servir em uma taça individual e comer com uma colher pequena.
    Ou seja, a receita não deve ficar nem muito dura, nem muito aguada. Antes de chegar ao ponto ideal, adicione baunilha e liquidifique uma última vez. Sirva o sorvete em recipientes individuais e salpique amêndoas ou nozes moídas.
    Aproveite!

  • O segundo grau da Escala Evolutiva do DeROSE Method

    O segundo grau é o do praticante da Nossa Cultura que assumiu como estilo de vida a nossa Filosofia. Este grau pode ser conquistado após um ano de permanência no grau anterior (Praticante), embora o tempo possa ser reduzido para os alunos que obtiverem um bom rendimento no curso Aprofundamento Filosófico.

    Aquele que porta este grau caracteriza-se pela utilização da insígnia alaranjada, e já possui um nível intermediário nas técnicas, nos conceitos, e no conhecimento da Filosofia. É alguém que está bem identificado com as propostas da Nossa Cultura.

    Insignia laranja

    Quando seu instrutor julgar que é o momento para que você passe para esse Estágio, irá orientá-lo quanto aos requisitos comportamentais, práticos e teóricos.

    Um requisito prático bastante relevante para a conquista desse grau é a apresentação de uma coreografia, cujo preparo envolve um período muito de muito aprendizado e treino. Uma vez criada, a sua coreografia pode tornar-se a sua prática pessoal e, além disso, pode ser um estímulo para que você aprimore cada vez mais a execução das técnicas corporais.

    24133205650_63900bee68_k

     

    Aqui o depoimento da Diretora Viviana Almandoz, de Calafate – Argentina, de quando passou ao grau de insígnia laranja:

    “Pasar a yôguiní fue una de las mejores decisiones de mi vida, significó un cambio profundo y transformador, fue como despertar repentinamente de un sueño profundo y comenzar a percibir el alrededor con ojos de recién llegado.
    Ser yôgin es ser parte activa de Nuestra cultura, de incorporar las técnicas del DeROSE Method como parte vital e indispensable de nuestra vida cotidiana y vivenciar en todo momento su potencial. Es poner en práctica deliberadamente nuestras técnicas y conceptos comportamentales, mostrándole al mundo un ejemplo vivo de nuestra propuesta. Es relacionarse de manera más descontraída, ética y responsable, es compartir e interactuar sin expresar sentimientos ni actitudes de arrogancia.
    Para poder alcanzar este grado, es necesario participar activamente de las actividades culturales de la escuela, y realizar al menos dos cursos con Maestros y profesores para ampliar el campo de conocimiento y cultivarnos. Asistir al curso básico, leer el libro “Ser Fuerte” y responder un cuestionario de pasaje de agrado. Además, nuestro comportamiento debe ser digno ejemplo de nuestro Método, el yôguin disfruta plenamente de la vida sin necesidad de fumar, consumir drogas, beber alcohol, ni consumir carnes. La bienvenida del yôgin comienza cuando nos regala su coreografía motivandonos a formar parte de la familia del DeROSE Method.”